11 de ago de 2008

O extremo grave

Por Silas Cordeiro Pascoal. Fevereiro de 2010. 
Ao citar, favor identificar o autor e linkar a fonte.
Link curto: http://migre.me/403dS


Os sons graves ganham cada vez mais fãs devido à riqueza de harmônicos e à intensa vibração, envolvendo nosso corpo como um todo, além de serem mais imponentes e não irritarem aos ouvidos como os sons agudos. Instrumentos baixos, além de ressoarem melhor no nosso corpo e serem mais agradáveis, possuem uma extensão maior, ou sejam, mais possibilidades de notas.

São marcantes também por seu tamanho gigante. Por exemplo, clicando aqui pode ver uma guitarra portuguesa 20 vezes maior que a convencional, feita com os mesmos materiais, que soa em registro de baixo. Mas existem raras exceções: um simples cano de PVC pode fazer vibrações tão graves que vc só ouvirá as batidas-por-minuto, tu tu tu tu tu tu. A propósito: vc pode fazer vocal fry, não pode?

Vários instrumentos musicais "acústicos" (não eletrônicos, não elétricos) são capazes de produzir sons poderosos, alguns bem próximo do limite da audição humana (lá pros 16Hz) - e outros até abaixo disso. Tem instrumento que devia ser registrado no sismógrafo. A gente não ouve com clareza abaixo do piano, mas o nosso cérebro constrói a percepção de frequências a partir dos harmônicos, de acordo com nossas limitações.

Os rótulos pra classificação instrumental variam de acordo com a família do instrumento, mas via-de-regra, do agudo pro mais grave se chamam:

Baixo

Contrabaixo
Subcontrabaixo [ou Octobass/DoubleDoubleBass, dependendo da família]
Hyperbaixo [ou Hypercontra]
Fonte: a inesgotável e infalível wikipedia^^

Vou listar aqui uma galeria, começando pelo sopro, depois cordas, e finalmente os eletrônicos. Vou pular percussão - mas adoro bumbos, gongos e tímpanos também. Quem tirar um tempo para ler e assistir os exemplos, vai enriquecer seus ouvidos além de sanar curiosidades e comparar timbres e sonoridades. USE BONS FONES DE OUVIDO.



Vou usar a cifragem de frequências/notas científica ou americana, assim:
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/cd/Pitch_notation.png
Abaixo disso, fica C-1, C-2, etc. Tabela de frequências de acordo com a nota: http://en.wikipedia.org/wiki/Scientific_pitch_notation#Table_of_note_frequencies



SUMÁRIO

Instrumentos de sopro:
- Órgão de tubos
- Flauta doce
- Flauta transversa
- Clarinete
- Saxofone
- Contrafagote
- Tubas
- Baixos profundos

Instrumentos de corda:
- Piano
- Octobaixo
- Sub-baixos elétricos


E os eletrônicos?
Bônus: subarmônicos




BOA LEITURA





INSTRUMENTOS DE SOPRO

O "rei dos instrumentos", o órgão de tubos, sem nenhuma modificação sonora elétrica ou eletrônica, pode gerar até 8Hz, abaixo da audição humana. Na verdade, o único órgão no mundo que faz esse som claramente e com força é o Hill, da Sydney Town Hall, na Austrália. Nos tubos mais graves cabe um homem adulto dentro, parecem chaminés. Olha o tamanho do organista (gordo) abaixo dos tubos maiores:

http://www.theatreorgans.com/sydney/sydney5.jpg
http://www.theatreorgans.com/sydney/sydney3.jpg
Essa imagem é a metade da caixa de ressonância pra CADA tubo grave daquele órgão.

No seguinte vídeo o organista toca um D-1, 9Hz, aos 27 segundos:


Esse outro tem um registro 128'' que garante sons muito graves:

Augsburg, Alemanha. Aos 50 segundos ele ativa o "registro terremoto".

Órgão de teatro (eletrônico), experimental, indo até 4Hz:

Você não consegue ouvir, os microfones não pegam, mas tudo em volta treme...






http://www.contrabass.com/pages/recorders.jpg
Flauta doce subcontrabaixo em dó (instrumento original do renascimento, restaurado):


Flauta doce subcontrabaixo em fá, ainda mais grave (três metros e meio de altura):






http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/0a/Maria_doublecontra_jpg.jpg
Flauta transversa subcontrabaixo (original metálica):

Outra flauta subcontrabaixo porém de pvc:


Site de performer e fabricante de flautas transversas super graves e gigantes:
galeria de audio http://www.lowflutes.com/music.html
partituras http://www.lowflutes.com/new_music.html




http://www.jayeaston.com/galleries/clarinet_family/low_clarinets.jpg
Clarinete contrabaixo (mais baixo que o clarinete baixo):





http://mob139.photobucket.com/albums/q293/happyjazzy/music%20forum/ContrabassSax.jpg?t=1241992708
Saxofone contrabaixo (mais grave que o sax baixo):







Um instrumento beeem mais comum e tradicional, o contrafagote (que Beethoven já usava, inclusive na Nona Sinfonia):


Aqui temos o começo do segundo concerto pra piano de Ravel, com um solo de contrafagote acompanhado apenas pelos contrabaixos tocando ambos suas notas mais graves (começa aos 15 segundos):


http://www.classicaonline.com/glossario_strumenti/immagini/giant_tuba.jpghttp://farm1.static.flickr.com/9/12766770_3016bc9975.jpg
E as tubas, dentre outros metais que dispensam apresentações e exemplos - podem soar extremamente grave:




E a vox humana, é claro, onde homens com voz natural extremamente grave são chamados "baixos profundos". Casey Moo canta as primeiras notas graves do piano:







INSTRUMENTOS DE CORDA

http://www.stevesclassiccars.com/images/Bosendorfer-7-23-02-2.jpg
Piano Bosendorfer Imperial 290, com 97 teclas: ele tem muitas teclas ABAIXO de um piano normal, ou seja, mais grave, até 16Hz, o limite da audição humana, confira:

Aqui mais lenta e detalhadamente: http://www.youtube.com/watch?v=JnfcMJwiOHQ

O octobaixo, instrumento que tentaram inserir na orquestra abaixo do contrabaixo que conhecemos, mas acabou não ficando, embora compositores como Berlioz, Richard Strauss, Mahler, dentre outros, tenham escrito para o octobaixo. O contrabaixo orquestral moderno tem 5 cordas, a mais grave é satisfatória para repertório de concerto indo ao C1 (uma oitava abaixo do violoncelo). Todavia o octobaixo original do sec. XIX vai ao C0, 16Hz, uma oitava abaixo do contrabaixo de 5 cordas e duas oitavas abaixo do cello, o limite de nossa audição:


Fiquei sabendo que já existem 3 octobaixos funcionais no Brasil. Obrigado, leitores.


http://jauqoiii-x.com/JK_images/adler_subcontra_bass_text.jpg
Baixos elétricos (guitarra-baixo) com cordas mais graves que o padrão estão ficando populares, indo ao B0 no baixo comum de 5 cordas. Mas tem gente que abusa, indo até 17Hz... Acabou de ser retirado do youtube (estou pesquisando +exemplos p/vcs) mas achei alguns afinados assim, do agudo pro grave: Eb2 Bb1 F1 C1 G0.

Harpas, teorba, cravos, enfim, vários instrumentos de cordas podem produzir sons graves, mas nem todos com qualidade ou com volume (assim como percussão afinada).

Piadinha: como fazer um contrabaixo (de orquestra) ficar afinado?
Basta cortá-lo e transformar num xilofone.

Pra me redimir, um belo solo de contrabaixo comum, orquestral:

E aqui link para um Octeto de Contrabaixos, sigam os uploads.



E OS ELETRÔNICOS?


Bem, hoje em dia qualquer sintetizador gera sons extremamente graves. Você faz isso aí no seu computador sem grandes esforços. Aí a limitação é o amplificador, bla bla bla. Instrumentos eletrônicos primitivos como órgãos eletromecânicos, trautônios, ondas martenot, etc. tinham algumas dificuldades para gerar sons extremamente graves, a começar pelo amplificador, passando por questões de timbre também - e alguns saíam sons complexos, gongos, ruídos, muito anasalados, e não uma nota que se pudesse usar na música temperada. Isso sem contar que muitas vezes saía aquele som indesejado de motocicleta rítmica... tu tu tu tu tu tu

O theremin, enquanto um conjunto de osciladores, gera essencialmente qualquer frequência que possamos ouvir, mas os virtuosos vão apenas de 20Hz a 4KHz (E0-C8) com domínio do som. Particularmente eu só consegui chegar com controle até 20Hz poucas vezes, após algumas tentativas e muito esforço - e o afinador do lado pra ajudar. É realmente difícil e chato - não pode nem respirar, raramente vamos nessa região. E haja caixa reforçada nos graves pra aguentar pancada!

Solo de theremin "walking bass":

(Pra baixar clique aqui)

Minha demonstração relaxadíssima do grave do theremin, aos 20 segundos:


Na seguinte gravação dos graves do theremin, inicia-se o que tá na partitura, indo depois nas marcações pelo menos ao G0 (24hz):
http://i38.tinypic.com/2agsxky.jpg
Theremin Distorcido nos Graves by SilasCo

Por enquanto é só.

Tem um site de fanáticos por graves com uma tabela de frequências e os instrumentos capazes de produzí-las:

http://www.contrabass.com/pages/frequency.html

De lá tirei boa parte do conteúdo desse apanhado.

Me ajudem se eu não mencionei algum instrumento grave.

E agora vivam mais felizes sabendo que linhas de baixo podem ser escritas pra dezenas de instrumentos com diversas "tocabilidades" e sons.


*****

BÔNUS

Vc sabia que existem subarmônicos? Isso mesmo, em inglês, subharmonics, harmônicos que em vez de serem mais agudos, são mais graves que o som fundamental. Eles dificilmente soam junto da fundamental nos instrumentos convencionais, mas com tratamento especial podemos fazer eles aparecerem. São mais um fenômeno acústico do que um "som parcial" em si. Não sou expert no assunto, mas aí vão alguns links, pra ouvir e acompanhar a leitura:

"Concerto pra violino com subarmônicos", Cadenza
audio:
http://homepage.mac.com/marikimura/MAIN/Risset-Cadenza.mp3
partitura (violino solista):
http://www.scribd.com/doc/27063554/Risset-Cadenza
Download links: page 1, page 2.

Jean-Claude Risset, compositor
Mari Kimura, violinista subarmônica: http://web.me.com/marikimura/Site_2/main.html

Esse troço mais grave que uma viola é um violino comum, com afinação comum, tocado de modo a extrair harmônicos graves - subarmônicos. Se vc gostou desses sons bizarros, é bom começar a pesquisar sub-harmônicos. Tem material na web e é muito interessante.

Vc não está doido: é realmente possível fazer uma corda soar uma oitava abaixo sem nem sequer mudar sua afinação nem usar recursos elétricos/eletrônicos:


(a partir de 1 minuto a baixaria)


UPDATE: playlist
https://www.youtube.com/playlist?list=PL960CD0152FAA0DAD

Nenhum comentário: