20 de dez de 2009

Teremim não!

Pelamordedeus! O THEREMIN (nome patenteado em inglês) não deve ser escrito nem pronunciado "teremim" com M no final. Em espanhol e português, apenas tiramos o H, ficando TEREMIN. É livre a acentuação da pronúncia, como oxítona [tereMIN] ou proparoxítona todavia sem acento [TEremin] - som aberto ou fechado, tanto faz.

TERMINOLOGIA

Os que defendem o uso do M no final da palavra, desconsideram a realidade fonética do português (que jamais pronuncia a consoante bilabial nasal no final de palavras), desconsideram que o termo é um nome próprio, uma marca registrada e um termo estrangeiro, e se guiam cegamente por dicionários como Michaelis, Priberam e Aurélio, ou ainda pela Wikipedia.

Aliás, usar o cérebro é bom: se quem toca teremin é tereminista, tirando o -ista resta teremin (exemplo antigo aqui). Caso o correto fosse teremim, como rezam os dicionários, o tocador de teremin seria theremimista. PQP! Os dicionários erram, vão pelo caminho mais simples. Ou vc acha que foi um especialista em theremin que escreveu o verbete?

Hoje em dia todos têm acesso ao Google, o sabe-tudo universal, não custa nada verificar o nome do instrumento antes de publicar algo... A maioria nem sempre está com razão, mas o Google mostra que o termo teremin, como tem sido usado em espanhol há décadas, é mais apropriado e mais utilizado.

Logo, se não quisermos usar o termo theremin, que escrevamos teremin, que é consagrado pelo uso e pela literatura específica (assim como pela lógica, sem ferir o radical terminado em N).


E NA REDE?

Digitando "teremim", a forma errada de escrever, na internet, encontramos material brasileiro (hehe, de onde mais poderia ser?), vejamos:

Um teremin artesanal de campo de altura reverso (sim, é como se só tivesse a zona negativa), e com a antena de volume comum, não curva, sendo tocado sem altura definida improvisadamente:


Experiências midi (acredite se quiser). Passo a passo, educativo, sem truques^^

Só tenho duas observações: 1) theremin óptico ou luminoso não é theremin, pois não possui o campo eletrostático ao redor de duas antenas e não gera o som a partir do efeito heteródino; 2) theremin com saída MIDI deixa de ser um theremin e se transforma em um controlador gestual - um outro instrumento. Um controlador gestual, sim, pode ser óptico, como quiser, o importante é não confundir o controlador com o theremin original, eletromagnético, monofônico, heteródino, sem "truques" e sem grandes recursos de síntese (no máximo controle de harmônicos).

O theremin é patenteado desde 1928 tanto como um método de geração de som quanto como um aparato para o mesmo fim, portanto não é correto chamar de theremin outros métodos de geração de som e outros aparatos. Para ler ou baixar o texto original da patente (inglês), aí vai o link: http://spellbound.purplenote.com/ThereminPatent.pdf

O melhor pro final: um muito bem informado. Uma propaganda de moto da Yamaha com solo de sintetizador imitando theremin, como as trilhas sonoras dos filmes de ficção científica das décadas de 40 e 50. Feito pelo Felipe, da LOUD produções.


E viva ao teremin no Brasil! Só vamos corrigir a grafia e alguns conceitos, pessoal! :-)

E me ajudem a divulgar informações confiáveis e música real feita com o teremin! Vamos acabar com o mito de que isso é só um brinquedo ou efeito especial, e vamos exaltá-lo como um instrumento como outro qualquer, com 90 anos de tradição!

3 comentários:

Luiz disse...

Jimmy Page do Led Zeppelin e o pessoal dos Mutantes utilizavam o Theremin.

Anônimo disse...

coitado de você que mantem este blog, são poucas pessoas aqui no brasil que sabe da existencia disso.
não desiste desse seu robi.

Anônimo disse...

Queria saber se dá para fazer com duas latas de leite Ninho e um barbante. Chamaríamos de TERENINHO! Bem brasileiro, mas você teria que pagar os direitos sobre a patente para a NESTLÈ.